Quem paga previdência privada precisa pagar INSS?

Entenda como funcionam as regras para aposentadoria

Os assuntos relacionados à aposentadoria ainda são bem complexos para grande parte da população, especialmente quando se trata de previdência social ou privada.

Este artigo vai esclarecer as suas dúvidas sobre como funciona cada uma delas e se quem paga previdência privada precisa pagar INSS. Confira!

Sou obrigado a pagar INSS?

Sim! O pagamento para o INSS está previsto em lei  e determina contribuição obrigatória de todas as pessoas que estiverem empregadas, seja em regime CLT, autônomos ou profissionais liberais.

Ou seja, todo mundo tem que pagar INSS! Aqui este artigo já responde o questionamento principal, mas você sabe o por quê a contribuição ao INSS é obrigatória e o que a previdência social oferece como benefício? 

Em linhas gerais, quando falamos em INSS pensa-se somente na aposentadoria. Mas os benefícios concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social vão além disso. 

O INSS é responsável por assegurar, controlar e executar o pagamento de benefícios às pessoas que fazem parte do Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Além da aposentadoria (por idade e tempo de contribuição), quem paga o INSS tem direito à aposentadoria por invalidez; aposentadoria especial; auxílio doença; auxílio acidente; auxílio reclusão; pensão por morte; pensão especial; salário-maternidade e salário família. 

Por ter uma cobertura abrangente, a contribuição ao INSS é obrigatória a todos os brasileiros que trabalham.

Desse modo, caso tenha necessidade, a pessoa está assegurada com uma renda mínima. E o que isso tem a ver com a previdência privada? 

O que é previdência privada e qual a sua diferença do INSS?

A previdência privada é um modelo de investimento voltado para a aposentadoria.

Quando alguém deseja investir no tesouro direto, por exemplo, a pessoa normalmente coloca um valor todos os meses na aplicação, a previdência privada é semelhante, mas o valor investido tem como objetivo a aposentadoria.

Ao contrário do INSS, a previdência privada não é obrigatória, na verdade esse investimento é uma opção para quem deseja ter uma vida financeira mais confortável quando se aposentar.

Essa modalidade de aposentadoria é oferecida por bancos ou corretoras e funciona da seguinte maneira: As seguradoras oferecem aos clientes os Planos Previdenciários, cada plano tem uma previsão de quanto a pessoa precisa investir por mês e por quanto tempo para poder receber valor X quando se aposentar.

Vamos supor que uma pessoa de 25 tenha o desejo de se aposentar pela previdência privada aos 55, ou seja, 30 anos depois, recebendo R$ 1.500 por mês.

A seguradora fará os cálculos e dirá quanto essa pessoa deve pagar durante esses 30 anos para receber o rendimento esperado.

Assim, o INSS é uma contribuição obrigatória que o trabalhador faz para o Estado e em troca tem diversos direitos assegurados. Já a previdência privada é um investimento facultativo àqueles que desejam uma renda maior na aposentadoria.

Vantagens da previdência privada

Renda maior na aposentadoria: Obviamente esta é a principal vantagem da previdência privada, colher os louros do investimento de anos quando chegar a hora de descansar. 

Usar o dinheiro antes do prazo: O objetivo da previdência privada é a aposentadoria, mas caso a pessoa tenha algum imprevisto e precise do dinheiro antes da hora, ou simplesmente tenha desistido do investimento, a mesma pode resgatar o valor aplicado quando desejar.

Portabilidade: É permitido trocar de investimento ou a titularidade do investimento sem perder a contagem de tempo do imposto de renda.

Não entra no inventário: Em caso de falecimento do titular, o dinheiro é liberado aos beneficiários sem a necessidade de fazer inventário.

Desvantagens da previdência privada

Taxas altas: Os planos de previdência podem ter taxas de administração bem elevadas, o que reduz o valor aplicado mensalmente.

Tributação: Sabe quando falamos que quem desejar pode resgatar o investimento antes da hora? Pois é, pode, mas há uma tributação de até 35% a depender da escolha feita no ato de contratação do plano de previdência.

Falta garantias: É preciso escolher uma empresa de confiança para não correr o risco de ficar sem sua grana caso a mesma vá à falência.

Aqui explicamos a diferença entre previdência privada e previdência social e mostramos algumas vantagens e desvantagens da primeira opção.

Mas sabia que também é possível ter uma renda maior se for aposentado pelo INSS? Descubra o que fazer para se aposentar com o teto máximo do INSS

Dicas importantes para você não cair em golpes no WhatsApp

Descubra o que fazer para se aposentar com o Teto Máximo do INSS